James Swanwick: Como dormir melhor e fazer uma pausa no álcool

James Swanwick: Como dormir melhor e fazer uma pausa no álcool
4.8 (96.92%) 13 votes

Em uma escala de 1 a 10, quão bom é o seu sono agora? (Se você não está com 10, há muito espaço para melhorias.)

Se você quer uma boa saúde, precisa dormir o suficiente. Luzes artificiais do seu telefone, tablet ou computador podem sujar o sono, assim como o consumo de álcool.

O convidado de hoje foi mais um bebedor social que decidiu fazer uma pausa do álcool, e então a vida ficou muito mais interessante.

James Swanwick é o empreendedor, autor, palestrante, apresentador de podcast e co-fundador da Swanwick Sleep, australiano-americano, que faz esses óculos Swannie bacanas.

Neste programa com James, você aprenderá:

  • Os efeitos psicológicos da luz (especificamente luz azul)
  • Como socializar sem beber bebida
  • Passos simples para melhor dormir
  • o que Tire uma folga de álcool parece com James (e eu)
  • E muito mais …

Vamos sair com o James.

James Swanwick: Espíritos, sono e bloqueadores azuis

Abel: Tudo bem, o Sr. James Swanwick é um empresário, host de podcast e autor de . Ele é tudo isso e mais, pessoal.

Estou muito empolgado por você estar aqui, James. Obrigado por vir no show.

Abel, incrível estar aqui, companheiro, obrigado por me receber.

Abel: Já faz alguns anos, mas você tem feito um ótimo trabalho a partir de várias direções diferentes.

Então, vamos começar com seu experimento de 30 dias, sem beber álcool, como um bebedor social, não necessariamente como um alcoólatra ou algo assim.

Eu me diverti lendo o seu livro, e adoraria ouvir você explicar mais sobre isso com suas próprias palavras.

Bem, eu era um bebedor social, mas cresci na Austrália, que é uma cultura de consumo muito pesada.

Era normal, sabe, festa de aniversário de 18 anos, ficar bêbado, festa de aniversário de 21 anos, ficar bêbado. E depois dos meus 20 e 30 anos, churrascos no quintal com os amigos, tomar algumas cervejas.

E durante a noite, eu poderia ter um par de copos com o jantar. Nada muito sério, mas depois meio que me alcançou.

Lembro-me de estar em Austin, Texas, no South by Southwest Festival, em 2010, e comi dois gin e tônicos nessa festa da indústria numa noite de sexta-feira.

Eu acordei na manhã seguinte e me senti mediano, como se tivesse percebido que eu tinha colocado cerca de 20 libras ao longo de um período de 18 meses.

Meu rosto parecia desgastado, eu não dormi muito bem, e eu apenas disse para mim mesmo: "Sabe de uma coisa, eu vou tirar uma folga do álcool por 30 dias, porque isso obviamente está me atrasando. Não está me colocando na sarjeta ou arruinando minha vida, mas está me mantendo preso em 6 de 10. ”

Então eu disse: "Vamos ver o que acontece depois de 30 dias".

Abel: Uau.

Meu melhorou, eu dormi melhor, eu tinha mais clareza e foco, e comecei a atrair uma pessoa de maior calibre para a minha vida.

Eu acabei recebendo este incrível trabalho de sonho que hospeda o SportsCenter na ESPN, que eu credito ser livre de álcool e ter energia.

E eu apenas disse: "Você sabe o que, eu continuo indo e vejo o que acontece", e eu não bebi desde então.

Eu não bebo desde 2010.

Abel: Wow parabéns!

Eu acho que você mencionou em seu livro, o que aconteceu depois de um ano? Você ia comemorar e ganhar uma Budweiser ou algo assim, certo?

Sim. Bem, eu estava de volta ao South by Southwest Festival em 2011, exatamente um ano depois, e fui a esse pub, que agora está fechado, chamado Lustre Pearl.

Abel: Eu lembro de Luster Pearl.

Sim, na Rainey Street.

Abel: Claro.

E eu entrei lá e fui ao bar e pedi uma Bud Light e o barman me deu, e eu tinha toda a intenção de comemorar um ano sem álcool.

E eu cheirei, cheirava muito bem e fui colocá-lo em meus lábios e logo no momento antes de começar a beber, eu tive esse pensamento na minha cabeça.

E o pensamento foi: “Espere um segundo. Em um ano, você perdeu 20 quilos. Você tem o corpo que a natureza pretendia que você tivesse.

"Você tem novos amigos incríveis, você está hospedando um programa de televisão na ESPN, que você creditou de ser livre de álcool para você ficar nessa posição."

"Você tem mais energia, está dormindo melhor, criou um negócio secundário. A vida é simplesmente melhor sem álcool.

E todos esses pensamentos vieram à minha mente. Então eu coloquei o Bud Light no chão.

Liguei para o barman e disse: "Sabe de uma coisa, tudo bem, eu não vou aceitar".

E eu pedi uma água gelada com um pedaço de limão, que é a minha bebida favorita, e continuei sem álcool. E como eu disse, eu não bebi desde então.

Para mim, foi apenas essa percepção de que a vida é simplesmente melhor sem álcool.

Abel: Vamos nos aprofundar nisso um pouco. E adicionarei alguns antecedentes também.

Eu mencionei isso no programa antes, faço pausas na internet e faço pausas , também.

E tipo como você fez, não é para nenhum espaço de tempo em particular, não é para sempre, é tipo, "Vamos fazer uma pausa por um tempo".

Muitas vezes é quando estou com problemas .

Como agora, por exemplo, estamos morando nas montanhas, mas não estamos morando muito longe de um lugar onde estacionam todos os ônibus para a escola. O que significa que, como 5:30 da manhã, é um bip, bip e bip tempo de 200, tudo ao mesmo tempo, como um despertador.

E assim mesmo, eu estava bebendo um pouco de vinho e algumas outras coisas que gosto de beber.

Não é um monte, mas uma vez que isso começou a acontecer, e meu sono foi devastado, eu fiquei tipo, "Tudo bem, vamos apenas não beber por um tempo".

E minha esposa, Alyson, foi criada Mórmon, eles não bebem. E assim, aos 20 anos, eu realmente a apresentei às alegrias e aos baixos de beber.

E eu acho que foi em outubro passado, estávamos como "Vamos dar uma pausa". E aqui estamos mais de seis meses depois e não tocamos em álcool, não pensamos nisso.

Tivemos muitas oportunidades, mas é como "Não, é muito bom não beber agora".

E uma coisa que posso dizer que estou gostando é a diferença entre como você se sente de manhã.

Porque você pode dizer que não está de ressaca se bebeu uma ou duas bebidas na noite anterior, mas compare isso com por duas semanas e acordar de manhã, sentimento completamente diferente.

Você pode falar sobre isso um pouco?

Sim. Então, digamos que você tenha uma pessoa aparentemente inocente durante a noite, depois de um dia de trabalho, para reduzir aparentemente o estresse e a ansiedade.

Agora, aquele copo aparentemente inocente de vinho, cerveja ou outra bebida é suficiente para comprometer seu sono.

Agora, algumas pessoas dizem: “Bem, espere um segundo, eu tomo a bebida e isso me relaxa, e eu tendo a adormecer mais fácil porque eu tenho a bebida”.

Agora, isso pode de fato ser verdade; no entanto, seu está comprometido.

O álcool é uma toxina, e seu corpo tem que trabalhar para quebrar essa toxina.

Então, quando você toma aquela bebida, seu sono fica um pouco comprometido. E quando você acorda, você fica um pouco irritada.

E quando você está um pouco irritado, você tende a se atrasar um pouco para o trabalho.

Ou você tende a dizer às vezes: "Ah, vou pular essa manhã", ou você agarra seu marido, sua esposa ou seus filhos. Ou você entra no trânsito e fica irritado com a pessoa que o corta no trânsito.

Ou talvez você fique frustrado porque está esperando na fila do supermercado, porque a pessoa à sua frente está demorando demais.

Ou talvez no trabalho, porque você está um pouco cansada e irritada, você procura uma bebida açucarada para tentar dar-lhe um impulso de energia, porque você não dormiu muito bem.

E agora você está bebendo como um Gatorade com ele ou você está tendo um Kit Kat às 10:30, ou você está com um bagel ou algo assim para lhe dar um impulso temporário de energia, porque você não dormiu muito bem.

E sem que você soubesse, provavelmente era porque você tinha aquele copo aparentemente inocente de vinho durante a noite.

Assim, todo o seu dia, sua felicidade, sua produtividade, sua eficiência podem ser severamente comprometidas por esse aparentemente inocente copo de álcool.

Abel: A maneira que eu penso sobre isso, está dando uma pequena mordida no seu futuro.

Ele está roubando apenas um pouco das suas possibilidades e oportunidades para o dia seguinte, ou até mesmo alguns dias, dependendo de quanto você amarra um.

E uma coisa que é tão problemática, e eu tenho certeza que você poderia comentar sobre isso, é que na cultura social em que vivemos, se você está falando sobre Austrália, Grã-Bretanha ou América, certamente o mundo ocidental, dificilmente há em qualquer lugar que você pode ir, que é adulto, que não tem álcool.

O álcool é o ápice de quase todos os eventos culturais que parece que temos.

Então, como você navega nisso quando decide ser alguém que simplesmente não bebe essa toxina?

Sim. Pouco antes de dar algumas dicas sobre isso, é interessante, a palavra álcool na verdade vem de um termo em árabe. E na verdade é "al kuhool". E o que isso significa é "espírito de devorar o corpo".

Abel: Isso esta certo? Eu não percebi isso.

Sim. O espírito de devorar o corpo é o que o termo árabe "al kuhool" significa, e é assim que chegamos a isso.

Então, literalmente, toda vez que você tem "al kuhool", você está corroendo seu corpo.

Abel: Também ouvi dizer que eles são chamados de "espíritos" porque é mais fácil ficar possuído quando você toma bebidas destiladas.

Está certo.

Abel: Se você viu um bêbado furioso, não importa se você acredita nisso ou não.

Sim. E é interessante também, a Organização Mundial de Saúde diz que não há qualquer quantidade de álcool que seja saudável para você.

Como, o álcool simplesmente tem efeitos prejudiciais em você.

Como você socializa sem álcool?

Mesmo em uma sociedade em que todo mundo está sorrindo e falando: "Ah, vamos tomar um bom copo de vinho agradável".

Isso é bom. Você pode sorrir e dizer que isso não afeta você, mas afeta você. A Organização Mundial da Saúde fez literalmente estudos sobre isso.

Nenhuma quantidade de álcool é benéfica para você.

Agora, voltando às situações sociais, eu recebo essa pergunta mais do que qualquer outra coisa, o que é incrível.

Como você socializa sem álcool? Como você faz network, como você faz negócios com um cliente?

Abel: Não é uma pergunta estranha? Isso só me assusta pensando nisso, quão estranha é uma pergunta.

Não é? Mas é assim que somos doutrinados como sociedade.

As pessoas que estão sorrindo para nós e nos incentivando a beber, eu as chamo assassinos sorridentes.

É o garçom ou garçonete que vem no início da sua refeição em um restaurante e diz: “Ah, posso começar com algumas bebidas? O que você gostaria?"

E eles estão sorrindo. É como "Oh, isso é um assassino sorridente, eles estão tentando me matar com essa toxina".

São os amigos que você encontra.

"Oh, vamos nos encontrar para bebidas. Olá, como vai? Deixe-me pegar uma bebida, o que você gostaria? Você quer uma cerveja? Você quer um copo de vinho?

É o assassino sorridente. Há assassinos sorridentes em todos os lugares.

É nisso que eu treino as pessoas quando se trata desses ambientes sociais.

A maneira que você diz às pessoas que você é livre de álcool é muito mais importante do que as palavras que realmente saem da sua boca.

Se você disser isso com um sorriso em seu rosto, e estiver despreocupado com isso, você até mesmo zombará de você mesmo sendo livre de álcool, então as pessoas diminuem a pressão, deixam cair essa ideia que estão tentando gostar, "Vá em frente, apenas tenha um."

Se você puder encarar o álcool como se não estivesse se privando de algo divertido ou prazeroso sendo livre de álcool, e puder apresentar às pessoas que não está se privando de algo divertido ou prazeroso, as pessoas o abandonam.

Vou te dar dois cenários.

Aqui está uma, alguém diz: "Ei, posso pegar uma bebida para você?"

Você diz: "Oh, não, não, obrigado, não estou bebendo no momento. Eu estou fazendo uma pausa."

E eles dizem: "Vá em frente, só tem um, você vai ficar bem. Vá em frente, divirta-se, estamos fora.

“Oh, não, não. Eu não posso, não posso.

E agora sua energia parece que você está se privando de algo divertido e se você alimentar essa energia, você sempre continuará a beber e você sempre sentirá essa energia negativa.

E as pessoas sempre continuarão te pressionando para tomar uma bebida, porque acham que você está se privando de algo divertido e prazeroso.

Aqui está o segundo cenário.

A pessoa diz: "Ei, posso pegar uma bebida para você?"

"Não, não, não, na verdade, eu não bebo. Eu não estou bebendo no momento. Pegue uma água com soda, isso vai ser ótimo.

E eles dizem: "Ah, você não está bebendo?"

"Não, eu decidi fazer uma pausa." Ou "Estou bem, na verdade estou livre de álcool no momento, mas me veja ficar bêbado nessa água com soda. Eu vou enlouquecer esta noite.

E você só faz uma brincadeira sobre isso, você é apenas despreocupado sobre isso.

As pessoas soltam essa pressão e não apenas isso, você sente uma queda na pressão. Essa pressão simplesmente cai no esquecimento.

A maneira como você explica que é livre de álcool, sendo aberta, divertida, alegre e positiva, é muito mais importante do que dizer: "Ah, não, eu não estou bebendo no momento".

Abel: Isso é tão poderoso, porque é isso que é socializar.

E eu acho que é um pouco justo chamá-los de assassinos, querendo ou não, esse é o efeito que eles podem ter em alguém que está desafiando a si mesmo ou pode estar lutando para não beber em situações sociais.

Para mim, como músico em Austin há anos, fui pago e inclinado em álcool, você sabe o que quero dizer?

Está tão arraigada na cultura, está enraizada na música.

Mas uma coisa interessante que as pessoas podem não perceber que aparece em seu livro várias vezes é quantos atores e atrizes familiares e rostos que eles veem na televisão ou em filmes que não bebem nada, ou pelo menos desistem há muito tempo.

Você pode nos informar disso?

Entertainers sem álcool

Sim. Então, Bradley Cooper, um dos atores de Hollywood mais famosos do mundo, ele não bebe.

Na verdade, eu costumava ser um jornalista que entrevistou estrelas de cinema para ganhar a vida nos anos 2000, e eu na verdade entrevistei Bradley Cooper quando ele estava promovendo o filme, The Hangover, que foi seu primeiro papel de destaque.

Eu estava em um hotel em Beverly Hills, em Los Angeles, era o SOS Hotel em Le Cienega, e eu estava bebendo na época.

Isso deve ter sido em 2009, em algum lugar por lá.

E eu ainda era um bebedor social, e lembro de me sentar e entrevistá-lo sobre The Hangover.

E ele me disse, ele diz: "Não, eu não bebo".

E eu fiquei tipo “O quê?” Fiquei chocado. Eu estava tipo, "você não bebe?"

E eu vou dizer a você o meu diálogo interior: "Ah, esse não é um cara com quem eu gostaria de sair".

Abel: Certo. Esse cara não bebe, ele vai para a cama cedo.

Eu sei. E eu estava literalmente julgando ele na minha cabeça. Totalmente.

Eu falo: "Argh, eu não vou sair com esse cara".

E então ele passou a explicar que ele bebeu demais e culminou em uma noite infame em LA, onde ele bateu a cabeça em um piso de concreto, e ele acordou no dia seguinte e disse: “É isso. Terminei."

E ele não bebeu desde então.

Abel: Uau.

Chris Martin do Coldplay, a mesma coisa.

Quando eu percebi que Chris Martin não bebia, eu estava tipo, julgando-o totalmente, "Argh, esse não é um cara com quem eu gostaria de tomar uma cerveja."

E também, Donald Trump nunca teve um gole de álcool. Seu irmão era na verdade um alcoólatra e morreu de alcoolismo.

Abel: Eu não sabia disso.

Sim, então Trump não bebeu álcool.

Calvin Harris costumava beber muito, mas agora não bebe.

Russell Brand, o comediante, não bebe.

Algumas dessas pessoas tiveram sérios problemas com a bebida e realmente deixaram isso acontecer.

Em termos de escolhas de estilo de vida, Kristin Davis, a atriz que interpretou Charlotee na série Sex and the City, ela optou por permanecer livre de álcool.

E eu acho que Tyra Banks também escolheu ser livre de álcool também.

Então, há um movimento real que eu notei particularmente nos últimos anos, onde as pessoas estão realmente dizendo: "Eu não tenho que ser alcoólatra para parar de beber. Eu posso ser apenas um bebedor social ocasionalmente saudável para parar de beber, e eu recebo todos esses benefícios surpreendentes. ”

Abel: E talvez seria diferente se nós não vivêssemos em um mundo tão tóxico onde estamos sendo agredidos de todos os lados, se estamos falando sobre a água que estamos bebendo, , a comida terrível, qualquer disso. Tudo isso se soma ao modo como você está dormindo, como seu metabolismo está funcionando.

E se você puder tirar apenas uma dessas entradas que não está indo bem, então você vai ganhar.

Eu sei disso para mim, e eu mencionei isso no programa, sempre que há um pequeno problema em como as coisas estão indo, o álcool é a primeira coisa a ser feita.

Seja na composição corporal, ou eu quero ficar mais rápido se estou correndo ou o que quer que seja, é uma coisa fácil de se jogar.

Mas honestamente, acho que uma das razões é porque eu era totalmente direto até a faculdade.

Na verdade, crescendo, algumas crianças perto de mim que eram alguns anos mais velhas foram presas em uma festa, perderam todas as bolsas de estudo e não puderam entrar na faculdade.

Uau.

Abel: Então, para mim, crescendo e tendo um irmão mais velho que lutava contra o vício, era fácil ficar longe do álcool. Mas quando cheguei à faculdade, aprendi muitos maus hábitos.

Fui a uma escola da Ivy League, e nessas escolas a bebida pode ser muito arraigada na cultura. Eles te ensinam a beber.

E basicamente, esse é o pensamento que eles dizem de qualquer maneira …

Se você está indo para consultoria ou serviços bancários, precisa pagar seus empréstimos, como a maioria das pessoas precisa, certo? Você tem que aprender a beber, porque, caso contrário, alguém vai te beber debaixo da mesa e tirar vantagem de você. E assim, é melhor você aprender a beber.

E é tipo: "Como isso funcionou em todo mundo", sabe?

Agora estou nos meus 30 anos, mas naquela época, todos nós nos apaixonamos por isso. Nós todos ficamos loucos com isso. Por que isso acontece?

Um comerciante muito inteligente, em algum lugar na história, decidiu associar o álcool a um bom tempo.

E os profissionais de marketing muito inteligentes hoje continuam a perpetuar a ideia de que o álcool é um bom momento. Então nós vemos isso.

Se você está assistindo futebol em um domingo, todos os comerciais da Bud Light, Coors Lite … E o que os comerciais têm?

Eles têm esses caras bobos se divertindo juntos, fazendo coisas bobas e está criando a ideia de que se você beber esse produto, você fará parte de uma tribo, fará parte de uma comunidade.

É assim que as pessoas se divertem para criar laços, criar parentesco, criar diversão e sentir como se você fosse parte de um.

Há um outdoor na Sunset Boulevard com George Clooney, um ator de Hollywood muito famoso. Ele realmente criou uma marca Tequila com Randy Gerber, e foi como uma avaliação de um bilhão de dólares.

Então há esse outdoor na Sunset Boulevard, e ele está com uma jaqueta de couro preta em sua motocicleta olhando para trás, parecendo super legal, super suave, e então há apenas a garrafa de Tequila. Como se quisesse dizer, se você bebe esta Tequila, você é legal e suave, e você é sofisticado.

Quando você vê hotéis e pacotes de férias promovendo seus produtos, é sempre uma imagem de um homem e uma mulher em um jantar à luz de velas, tomando uma taça de vinho tinto.

Mas quem diz que você tem que ter o copo de vinho para ter um jantar romântico?

Você acabou de tirar o vinho e você tem um jantar romântico.

Abel: Sim, luz de velas e vinho, eles apenas andam juntos na psicologia americana. Eu não sei se isso é verdade em todo lugar.

Absolutamente. E depois também, casamentos ou celebrações, certo?

Abel: Sim.

O que acontece em um casamento? Adivinha? Brindamos a noiva e o noivo e o que fazemos? Nós fazemos isso com champanhe.

Então os assassinos sorridentes se aproximam e eles despejam champanhe e nós seguramos nossos óculos e dizemos: “Para a noiva e o noivo!”

Agora, um comerciante muito inteligente de uma empresa de champanhe em algum lugar da história surgiu com a ideia: "Vamos associar o champanhe à celebração".

Então você pensa sobre isso, você sabe, você tem uma corrida de barco, é tipo, "Oh, vamos comemorar com champanhe"

Você ganha um jogo de futebol, o título da Premier League. Você sabe, eu lembro de ter visto fotos de Michael Jordan quando ele ganhou…

Abel: Eu lembro disso também. O charuto e champanhe.

Exatamente. Alguém criou a ideia de que, se tivermos esse momento monumental em nossa vida, como uma criança nascendo ou se ganharmos um evento esportivo ou algo monumental acontecer, vamos estourar uma rolha e comemorar com champanhe.

E vamos beber esse veneno e beber essas toxinas. Vamos fazer isso.

Alguém muito inteligente veio com isso.

E agora, no mundo de hoje, associamos esse líquido tóxico que de bom grado derramamos em nossas gargantas e em nosso corpo que causa toda essa ruptura, e fazemos isso com um grande sorriso no rosto.

Porque nós fomos doutrinados há décadas que isso é exatamente o que você faz.

E assim, você vê em todos os lugares agora.

De repente, você começa a abrir os olhos e diz: "Oh meu Deus, isso está em toda parte".

Quero dizer, está literalmente em toda parte, pessoas empurrando esse produto em você.

Abel: Oh homem, fale sobre os assassinos. Eu estaria fazendo shows, eu estaria no palco e as pessoas estariam me levando essas fotos a noite toda.

E se você está anotando, eles te chamam de nomes, eles te atormentam totalmente.

Oh sim, razzing.

Abel: Vamos falar sobre o razzing. Eu tenho certeza que isso acontece com as mulheres também, mas especialmente para os homens, os homens podem ser condenados ao ostracismo tão facilmente por não beber, certo?

Eu costumava jogar rugby, joguei rugby por 20 anos. E quando me mudei para Los Angeles, joguei no Los Angeles Rugby Club.

E depois de uma partida, tivemos um pub chamado Sharky's on Manhattan Beach, um pub muito famoso lá em Manhattan Beach.

Abel: Sim, lembro-me do Sharky.

Sim, são 30 minutos ao sul de LAX no aeroporto.

E se eu fosse infeliz o suficiente para ser o MVP naquele jogo, minha recompensa era chupar um grande jarro de cerveja com todos os meus companheiros de equipe dizendo “Chug, chug, chug, chug, chug”.

E eu fico tipo: "Isso é o que você ganha por ser o melhor jogador no campo? Isso é uma merda.

Então eu sairia e ficaria doente, ou não poderia voltar para casa naquela noite porque bebi demais.

Eu estou tipo: "Isso não é recompensa, isso é um pesadelo".

Abel: É trote.

É trote, sim. E as pessoas realmente não percebem o custo.

E não é apenas o custo físico. Existe um custo financeiro.

E quando digo custo financeiro, não quero dizer o dinheiro que você gasta em álcool. Quero dizer, atualmente, eu trabalho com muitos empresários e empresários e executivos em um programa de coaching onde eu ajudo as pessoas a parar de beber por pelo menos 90 dias.

É chamado . E quando eles estão se juntando, eu pergunto a eles: "Quanto você ganha em um ano no seu negócio?"

E muitas vezes eles me dizem. E vamos usar apenas este exemplo, eu acabo de chegar a uma figura hipotética.

Digamos que você ganhe US $ 100 mil por ano com seus hábitos de bebida do jeito que eles são. Quão eficiente e produtivo você está no seu trabalho, na sua carreira?

Agora, a maioria das pessoas dirá: "Provavelmente estou em cerca de 6 ou 7 em cada 10".

E eu digo: "Ok, ótimo. Então você está operando com 6 ou 7 de 10, e ganha 100.000 dólares por ano. ”

E então eu digo: “Bem, digamos apenas que você está livre de álcool por pelo menos 90 dias e você tem clareza, foco, energia, você é estratégico, você fez mais, dormiu melhor e está apenas balançando em todos os cilindros. Como você se sentiria? Quão eficiente você seria?

E eles dizem: "Eu provavelmente seria como um 8 ou um 9".

Eu direi: "Ok. Então, em 6 de 10 você está ganhando 100.000 dólares, quanto dinheiro você acha que geraria para si mesmo se estiver operando com 9 de 10? "

E então, varia o que eles me dizem. Algumas pessoas dizem que a quantidade de dinheiro que elas gerariam seria o dobro. Algumas pessoas dizem que é a metade, mas digamos que seja US $ 150.000, certo?

Portanto, a diferença entre US $ 100.000 e US $ 150.000 é de US $ 50.000.

Portanto, sua bebida está custando US $ 50.000 por ano em receita ou renda que você não gera por causa de seus hábitos de consumo.

Agora, isso nem inclui o que você gasta com atividades relacionadas a álcool e álcool.

Abel: Que soma

Que soma também. Então, pelo menos US $ 50.000. Então, se você está ouvindo ou assistindo e está pensando nisso, faça as contas.

Eu chamo isso de Cálculo da Receita de Perda de Álcool ou calculadora. ALRC, o Calculador da Receita de Perda de Álcool. É como…

Abel: Doloroso, mas vale a pena.

Quer dizer, sua bebida está custando pelo menos US $ 50 mil nesse cenário.

Abel: Certo. Se você não é um empreendedor e está ouvindo isso, isso parece meio maluco. Mas como um empreendedor falando com outro, é assim que funciona.

Eu até diria que talvez se você estiver em 9 de 10, então você tem um pequeno salto no seu passo, um pouco de brilho.

As pessoas querem cooperar com você, as pessoas querem trabalhar com você. Oportunidades começam a aparecer no seu caminho.

Isso é uma coisa real. É realmente.

É uma coisa enorme. Quero dizer, a única coisa que aconteceu comigo quando parei de beber foi que eu recebi o SportsCenter na ESPN.

Eu comecei um programa chamado o, que já ajudou dezenas de milhares de pessoas em todo o mundo a deixar o álcool.

Eu comecei uma companhia de sono chamada, que ajuda as pessoas a dormir melhor.

Abel: Também teremos que conversar sobre isso.

Eu tenho que falar nos palcos e viajar pelo mundo. De repente, eu me tornei super consciente da saúde e conheci pessoas incríveis fazendo coisas incríveis no mundo.

Eu angari dinheiro para instituições de caridade. Eu atraí relacionamentos incríveis.

Eu tenho uma conexão muito maior com minha família e amigos. Eu sou um comunicador muito melhor.

Quero dizer, não aconteceu muita coisa quando parei de beber.

Abel: Bem, há outra coisa do tipo físico que acontece, pelo menos para mim, e com Alyson também.

Se você tem seus hábitos bem pregados e sabe o que é saudável, pode segui-los, manter-se bastante saudável, manter seu peso e manter a composição corporal.

Se estou bebendo, tenho que trabalhar mais.

Se estou nessa fase quando estou bebendo, preciso fazer alguns cálculos. Eu preciso resolver isso.

Se eu não estou bebendo, então eu posso ter uma fatia extra de torta caseira de Boston quando eu quiser.

E eu posso colorir fora das linhas um pouco mais e me livrar disso, e não sentir essa interrupção no sono, em particular. Para o seu ponto, não é como se você acordasse cansado todas as vezes.

É como se, às 10h30, você precisasse de algo e, às três horas, precisasse de alguma coisa e, no final do dia, precisasse de algo para nos ajudar a relaxar. E é disso que você sai.

Você consegue esse sono decente. Não é nem o melhor sono do mundo nem nada, se você não está bebendo. Você não precisa do melhor sono do mundo, já é melhor.

E assim, você está apenas viajando pelo seu dia e tem essa RAM extra. Você tem essa energia extra para usar e aplicar para alguma coisa. É mensurável.

Mas você não pode fazer isso por 3 dias, você não pode fazer isso por uma semana. Eu acho que no seu livro você diz, são pelo menos 7 a 10 dias para a maioria das toxinas deixar o sistema. Eu dou 2 semanas.

Eu não me considero pensando racionalmente sobre álcool até que eu não tenha bebido por 2 semanas, você sabe o que quero dizer?

Caso contrário, você o desejará às 5 horas todos os dias.

Sim, você está absolutamente certo. Leva de 7 a 10 dias para as toxinas do álcool estarem completamente fora do seu sistema.

Isso é muito louco, 7 a 10 dias.

Na verdade, fica no seu cabelo e folículos capilares por até 30 dias, o que eu achei muito interessante.

Abel: Sim, mas você não precisa se preocupar com isso.

Não, eu não. Eu tirei todo o meu cabelo. Eu não consegui mais lutar.

Óculos de bloqueio azul para melhor dormir

Abel: É uma boa olhada, especialmente com os Swannies.

Então, temos um pouco mais de tempo, mas quero ter certeza de que falamos sobre isso. Como os óculos bloqueadores azuis, o software de bloqueio azul, isso é algo que eu já fazia há 7 ou 8 anos.

Na verdade, minha esposa era um jogador de videogame profissional e aqueles óculos azuis de vários tipos eram um pequeno nicho por um tempo.

Nós estamos nerds por um tempo, e eu fiquei muito empolgado quando você começou .

Eu realmente tenho o caso aqui, mas minha esposa roubou o meu.

Então fale um pouco sobre por que é importante gerenciar a luz, especialmente na era dos dispositivos em que vivemos.

Bem, vamos falar sobre o sono e como a luz afeta seu sono.

Muita luz à noite afeta seu sono.

Cada noite, se você está olhando para o seu celular, assistindo TV, trabalhando no computador, mesmo se você escovar os dentes na luz do banheiro, essa luz é suficiente para comprometer a qualidade do seu sono.

Agora, a luz azul artificial vem de suas telas e de lâmpadas, e coisas assim. E o que a luz eletrônica faz à noite, engana seu corpo e seu cérebro para pensar que é de dia.

E isso é feito estimulando as glândulas pituitária e pineal.

Agora, quando seu corpo pensa que é hora do dia, mesmo que seja noite, ele não produz a melatonina que a natureza pretendia que você produzisse.

Então, o que acontece é que muitas pessoas ou têm dificuldade em adormecer, ou se agitam e se revezam durante a noite.

Ou eles acordam se sentindo cansados ​​e letárgicos, mesmo que tenham sete ou oito horas de sono.

Sem perceber que o culpado pela sua má qualidade do sono foi simplesmente se expor a muita luz durante a noite.

Então, o que podemos fazer sobre isso?

Agora, eu estou usando um par de meus óculos de bloqueio de luz azul Swannies. Eu crio e produzo isso.

A lente laranja bloqueia a luz azul artificial.

Laranja é a cor exata oposta do azul. Azul é a cor oposta da laranja. A luz azul não pode penetrar.

Então, o que eu faço é colocar meus óculos de bloqueio de luz azul Swannies cerca de uma hora antes de ir dormir.

E então continuarei a olhar para o meu celular, trabalhar no computador às vezes, escovar os dentes na luz do banheiro.

E só depois que me arrastei para a cama e apaguei a luz final, removo os óculos.

E então eu rolo e vou dormir.

O que você não quer fazer é usar os óculos pela última hora, e depois nos últimos cinco minutos, removê-los, ir ao banheiro e agora você está se expondo àquela luz do banheiro.

O que engana o seu corpo e cérebro a pensar que é hora do dia.

Que agora está suprimindo sua produção de melatonina.

O que agora está despertando seu corpo e fazendo você pensar que é hora do dia.

E agora sua qualidade de sono está comprometida novamente.

Então, usar esses óculos na última hora antes de dormir pode ter um impacto profundo na sua qualidade de sono.

And certainly wearing them sporadically throughout the daytime when you’re on a computer can filter out a lot of that blue light and give you extra clarity and focus.

And reduce your eye strain, your fatigue and headache sometimes.

Abel: I’ve been using various blue-blocking glasses, including Swannies, for a while and it’s really helpful for me.

I’m looking at a big light right now while I’m recording, and other times when I’m on stage. I kind of just put up with a small headache, because I’m very sensitive to light.

And actually, I went through the whole Irlen program, and I have those, as well. And did all the testing.

I was really surprised by how painful the testing was. How obvious it was that I was struggling through certain things, like glossy paper with certain fluorescent lights, and all of that, whether it’s night time or not.

And so, whenever I’m not on camera, I’m often wearing blue-blocking glasses, even though I don’t need actual glasses. And Alyson does that, as well.

And sleep sounds boring.

“Getting more sleep? Yeah, whatever. I can handle living without sleep.”

But melatonin is pretty cool.

Like, if you don’t want to get cancer, get some melatonin.

And the way you get that is by honoring your sleep and honoring, like you said, the pre-sleep ritual or process that we all have.

Which, if we’re going to be honest, is kind of arbitrary.

We all brush our teeth, and go into the bathroom and turn the lights on or whatever, as automatically as we could go in and have our glasses on and do it right.

It’s not really adding that much complication. And I can definitely say that it makes a big difference.

You squint immediately, if you take them off and you make that mistake, right? So, what else is it doing?

Yeah, if that light is triggering you and you’re not sleeping well, it’s been linked to obesity, diabetes and

If you’re someone who’s trying to lose weight, for example, and you’re going to the gym and you’re eating all the , and you’re doing all that kind of stuff, but you’re still frustrated that you can’t lose an extra 3 pounds, 5 pounds, 10 pounds, whatever it is.

There’s a good chance it’s because you’re exposing yourself to too much light at night.

Too much light at night is keeping you, I don’t want to say fat, but it’s slowing down your metabolism.

It’s reducing your ability to burn fat. And also, if your sleep is compromised, like we talked about before, then guess what?

Now, you’re going to reach from more of a pick me up, like a .

You’re more likely to drink a juice, or something like that, in the morning. Which has got a lot of sugar in it. And now you’re storing more fat.

Same thing with the alcohol. It causes irritability, if you’re not sleeping well.

On the flip side, if you sleep well and you do block light at night, then you wake up in the morning the way that nature intended you to wake up.

I mean, I’m not saying that by wearing the Swannies that it will give you additional superpowers.

I’m just saying, by wearing the Swannies, you will have the powers that nature intended you to have all along.

Which is clarity and focus, energy and connection.

And your metabolism is working the way it’s supposed to be working. I mean, your show is literally the Fat-Burning Man, right?

Abel: Sim.

It’s like, you want to burn fat? You want to be the fat-burning man or the fat-burning woman?

Block blue light at night.

Abel: Sim.

I mean, it’s insane.

Technology is amazing. I love my iPhone, it’s a spaceship in my pocket. It does so much stuff, I love it.

And I don’t watch much, if any, TV. I mean, I will watch Game of Thrones, I must admit.

Abel: Sure.

I love all that technology, but I’ll tell you, I’m using all of that technology now by blocking blue light with a pair of glasses.

Here’s one other thing I would say as well. And of course I’m biased because I produce the Swannies glasses, but I deliberately make my glasses stylish and cool.

Because people don’t want to look like a meth chemist wearing an ugly pair of blue light-blocking glasses.

Abel: I’ve got some right here.

Have you? You’ve got an ugly pair? Put them on.

Abel: I mean, take your pick. We’ve got this one…

They’re all dirty, but you can see how much I use them and try different kinds. It’s mostly just because I want them around.

If you don’t have it right there, you’re not going to use it. And so, it’s important to have them around. Oh, here we go.

Have you got some aviators like mine?

Abel: These ones are actually Irlen.

Oh, good, nice one.

Abel: And I can offer another thing that happened when I started wearing them, like right now looking into this iMac and looking into this light.

I feel like I’m looking into a lamp, because I am.

If you’re watching TV, you’re looking at a lamp.

If you’re on your computer, or you’re on your phone or whatever, it’s a source of light that’s beaming into your eyes.

When you start wearing blue-blocking glasses like this, it almost turns everything into an even plane, where it’s not popping out and kind of jabbing you in the eyes anymore.

It’s like you can look at it, and read as if it were a book.

Certo.

Abel: Not exactly, but it’s more like a book. It’s not this thing that’s popping out at you as much.

For me that makes a big difference. Because if it feels like it’s popping out, it almost feels like a psychological subliminal threat in some way.

Because it is, it’s unprecedented. Our bodies are not designed for this.

None of these lights are good for our bodies. They’re just there because they’re in technology right now.

Yeah, I mean, think about it. When you’re staring into your computer screen or you’re looking in your iPhone or your Android, or whatever you have, you’re literally staring into a mini sun.

It’s a mini sun. OK? And yet, we’re all doing it.

So there’s a couple of things I’ve noticed about our devices.

One is—do you notice how much more we’re looking down?

Like when you look at a phone your head moves down.

And it’s something crazy like, for every 2 cm that you look down, it adds an extra 10 pounds of pressure on your spine, or something like that.

So there’s that. And then also, you’re staring into that mini sun. And that is blasting artificial blue light.

Abel: Certo.

Artificial, that’s my Australian accent, artificial.

Candlelight is fine. Candlelight flame is beautiful.

And think about it, for centuries, tens of thousands of years, we would wake up, we would go and do our work, and live out in the sun.

We’d go and hunt a bear or kill some animals, or forage, and then the sun would go down. And we’d light a fire, and we’d sit around the fire. And then we would go to sleep.

And we did that for centuries. Here’s where it turned.

Thomas Edison mass produced the light bulb in the late 1800s, early 1900s, and that was the moment where our whole life changed.

Because now we are staying up later than we ever did, and now we’re staring into artificial man-made light that isn’t candlelight.

Which now we know stimulates our pituitary and pineal glands, and compromises our sleep.

2007 was another monumental year where everything changed. That was the year that Steve Jobs released the iPhone.

Abel: Sim.

So the phones with a little bit of light, and we use the phones.

As soon as that iPhone came out in 2007, we spent hours and hours and hours on that device.

So now we’re staring into artificial light all day, which nature never intended us to do.

And that’s causing , eye strain, macular degeneration, it’s compromising our sleep, it’s causing us to store fat, causing us to be irritable, relationships are suffering, and so forth.

So, the first step is awareness. Second step is just block the blue light any way you can.

Experiments in Fasting

Abel: Eu amo isso. Now, before we started recording, you were mentioning that you’re doing some fasting experiments right now.

So, let us know how that’s going.

Yeah, I’ve just done three 24-hour fasts in a row.

Abel: Oh, it’s in a row?

Yeah, back to back.

So I had my last meal at 6:37 pm and I went 24 hours, and then I went to a Thai restaurant, and I ate for Australia.

I represented Australia in the world eating championships.

I ordered three meals and ate it all. Felt really, really good.

And then I woke up the next day and said, “Oh, I’ll just do another one.”

So I continued on. Went to the same Thai restaurant the next night and ordered another three, and ate.

And now I’m just completing my third one.

Abel: Oh, you having Thai tonight?

You know what? I thought I might change it up a little bit.

Abel: Yeah, okay, there you go.

But I’ll tell you what’s happened. It’s amazing to me how after the second one I noticed how much tighter I was around my belly.

I’ve just noticed, it has burnt literally in 48 hours, it’s like my whole body just went whoop! And it just kind of tightened up.

So I’ve noticed I’ve burned fat, for sure. It was uncomfortable around lunch time for me.

It was like, that’s ordinarily when I would eat. Like, I can skip breakfast.

But around lunch time, I was like, “Oh, I kinda want to eat,” but I pushed through.

Now, I’m a little bit irritable like around 2:00 until 4:00.

Abel: Who isn’t, though?

Sim. But then what was really interesting was that from 4:00 until 7:00 when I ate again, wow, I was in the zone.

I noticed I had a lot of clarity, and I had energy and I had singular focus.

And strangely, I lost my hunger. And in fact, when I went to the Thai place and sat down, I actually could’ve… I feel like I could’ve gone to sleep that night without eating.

It was like, “Oh, I’ve gone 24 hours? I’d best eat now,” and I ate food.

Now, when I ate the food, it was delicious and I ate a lot. But it was funny, in the moments before I actually ordered the food, I was like, “Oh, actually I don’t have the hunger anymore.”

So anyway, it’s given me clarity, focus, energy. I’ve definitely burned fat. I feel tighter.

And I know that there are monumental health benefits from it that maybe I’m not even aware of right now.

Abel: Sure, even science isn’t.

It’s amazing how much good you can do by doing nothing, or abstaining, right?

Like, you don’t need this magical pill or this magical product. There’s so much that you can do just by taking a break from whatever, whether it’s food, alcohol, technology, we all need a break.

More than ever we’re just assaulted by all these things that we’re not designed for.

So, I think one of the reasons that people are so into meditation and mindfulness and all of that, is because we all just need a break.

You don’t need to meditate, you don’t need to cross your legs or anything. Just take a little break from all of this stuff.

I think that’s kind of the point from today’s interview.

But before we go, I want to make sure that you have a chance to talk a little bit more about the , as well as the , and anything else you might be working on.

Yeah, thank you. If you’re interested in quitting alcohol for 30 days and maybe longer, you can check out .

And you can also grab my book, you can go on Amazon and just type in , and you’ll find my book there.

If you’re an entrepreneur, business owner or executive and you’re wanting to quit drinking for at least 90 days, I have a program called , which has helped entrepreneurs make more money, reconnect with their families, lose weight, and all that kinda good stuff. You can just go to .

And with the Swannies glasses, the company is called Swanwick Sleep, so you can check it out at or we sell them on .

Get a 15% off discount on a pair of by using this coupon code during checkout: WILD

We’ve got aviators, women’s glasses, and cat eyes. We’ve got glasses for kids, too.

We didn’t talk about that actually. Children are actually the most susceptible to the dangers of blue light.

As we mature and age through adolescence and adulthood, we actually have more of a natural barrier to blue light.

But kids who are on iPads all day and playing video games, they’re actually doing long-term damage to their eyes.

And they’ve done studies that actually show that kids’ grades suffer at school because of this over-use of screens and electronics.

So yeah, we’ve got kids’ styles over at , as well.

And just to wrap it up, look, even if you don’t want to quit alcohol and you think that’s too much of a step, just quit for 30 days. And just get a glimpse of what it feels like.

And I would be shocked if you didn’t feel amazing, had more clarity, energy, focus, be more productive, had better relationships.

And just block as much light as you can at night time.

Because if you’re not sleeping well, your whole life is just a 6 out of 10, you might not be in the gutter or at rock bottom or anything like that, you might just be average, things might be average.

Abel: Sim.

But do you want to be average or do you want to just live the way that nature intended you to live, which is outstanding?

I’ve made my choice. I don’t know about you, I think you’ve made your choice too.

Abel: Yeah, I think you’re in good company, my friend. You can hear it in your voice, you can see it in your face, you’ve got that jump in your step and it’s rare these days.

I mean, it’s not that hard, right? It’s just a matter of being disciplined about it, and doing it, avoiding that blue light, making sure you’re getting , you’re treating your body well.

We should all be doing this. And since we’re the minority and we’re all flukes we need to band together as much as possible.

So James, thank you so much for taking the time, I really appreciate the work you’re doing.

Abel, thank you so much for having me, I appreciate you.

Before You Go…

Here’s the review of the week. This one is from Trish, who says:

My family and I went Wild in March and the results are incredible. We’ll be joining the Wild Tribe soon and sharing the physical changes there.

The Fat-Burning Man is the perfect compliment to anyone looking to get informed on thriving in this life, not just surviving.

You can tell how much him and his wife pour into the work they do and we appreciate that hard work.

The guests are informative and often have great perspective on life, wellness, both physical and mental, and are easy and a fun listen. – Trish

Trish, thank you so much for writing in. I love hearing that you’re getting wonderful results, and getting your family involved, too.

I know how challenging family can be, and oftentimes, it takes time and a lot of patience and being gentle, especially if you’re eating or living a little differently than the people around you.

If they don’t want to get healthy, it’s not going to happen. You really need to want it. You need to be ready.

But to the extent that you can, if you can get the people around you excited about making positive changes, that’s a really, really good thing. Because being healthy can be contagious.

So, kudos to you, Trish. Obrigado pelo seu apoio. Thank you so much for the kind words. We do work very, very hard on this show, and you probably see more of me, but my wife Alyson probably works even harder than I do. She’s behind the scenes making sure that all of this is coming to you.

So, I really appreciate you recognizing that it is a lot of hard work, but we believe in it so much we’re very happy to work hard. This provides meaning to our lives.

If you have a story to share, then please get in touch. If you’ve been listening to the show for a while, if you read my book or watched I was on or anything else, all you have to do is , hit reply to the email with free goodies I’ll send you way, and let me know how you’re doing. I read all of them, and reply to as many as I can.

Now I just want to mention, we’ve been doing a lot of other shows, as well. I’ve made a whole lot of filmed in 360-degrees, as well as educational at wacky places around North America.

If you want to check out any of that stuff, be sure to go to where we’re sharing a brand new 360-degree VR video every day for the next year.

And if you’d like to support all of the cool stuff that we’re making, then head on over to for the health supplements that Alyson and myself have been taking for years.

Every time you it directly supports the Fat-Burning Man show.

We just launched this year and it’s going well. People are really enjoying the taste of our greens powder, Future Greens. It has certified organic fruits & vegetables, plus 6 additional superfoods, and digestive enzymes. And since it has only 1 gram of sugar per serving, you’ll be getting a ton of nutrients without spiking your blood sugar.

It’s just one step closer to helping feed the world good nutrition. Because we would like to physically help feed people as well as educate you, and weave through all that misinformation and toxic food out there.

So, thanks for your support. Check out to see what health boosting goodies we have for you. Right now it’s only in the U.S., but hopefully we’ll be international soon.

What did you think of this interview with James Swanwick? Drop a comment below!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *